Tratamentos

As cirurgias de coluna evoluíram muito nos últimos anos e há diferentes tipos para diferentes doenças. É possível fazer desde uma lesão em uma raiz nervosa dolorosa, com agulha através da pele, até reconstruir a coluna utilizando parafusos e barras, de forma que o paciente pode sair da cama no dia seguinte, como nos casos de tumores na coluna. Quanto à recuperação, a maioria dos pacientes é estimulada a andar no primeiro ou segundo dia após a cirurgia, diferentemente do que ocorria no passado, quando se preconizavam longos períodos de repouso na cama.

Somente uma pequena parcela dos pacientes precisam ser tratados com cirurgia. Os candidatos ao tratamento cirúrgico são aqueles que fizeram o tratamento clínico e não obtiveram melhora da sua dor, os que desenvolveram alteração do exame neurológico, como fraqueza nos braços, nas pernas ou dificuldade para urinar ou evacuar e aqueles em que foram diagnosticadas outras patologias.

CIRURGIAS

Tipos de cirurgias

Quase todas as cirurgias de coluna podem ser realizadas de forma convencional ou minimamente invasivas. Estas últimas, consistem em realizar a mesma cirurgia convencional, mas com incisões menores na pele e menor manipulação dos músculos. Em tese, esse tipo de cirurgia acarreta em menor dor no pós-operatório. Porém, não são todos os pacientes que são candidatos às cirurgias minimamente invasivas. Além disso, as cirurgias convencionais também evoluíram muito e hoje são realizadas com incisões bem menores que no passado, possibilitando uma rápida recuperação do paciente.

Rizotomia das facetas

O paciente é levado ao centro cirúrgico, recebe uma medicação para ter uma sedação leve, através de anestesia local colocamos agulhas na região das articulações facetárias onde realizamos lesões no ramo medial do nervo espinhal. Este ramo é o responsável pela inervação das articulações facetárias. A lesão deste ramo pode proporcionar o alívio dos sintomas.

Microdiscectomia

É a remoção do disco intervertebral realizada para tratamento de hérnia de disco. Normalmente é feita com uma pequena incisão, na pele, de dois a três centímetros. Nestes casos, normalmente o paciente é liberado para deambular algumas horas após a cirurgia e pode ter alta hospitalar no mesmo dia ou no dia seguinte.

Artrodese

Para descomprimir a raiz nervosa é necessário remover não apenas parte do disco intervertebral, como na microdiscectomia, mas uma maior parte dos ossos posteriores da coluna (laminectomia e artrectomia) – as vértebras tendem a ficar soltas, o que pode acarretar muitas dores. Nestes casos, realizamos a cirurgia de artrodese, que consiste em promover a fusão óssea das vértebras envolvidas. Colocamos pequenos fragmentos ósseos, do paciente e enxertos produzidos na indústria, associados a um sistema de parafusos pediculares para realizar a fusão óssea desejada.

Fixação dinâmica

Consiste em colocar um sistema específico de parafusos e barras ou limitadores de movimento para que o segmento da coluna que está sendo operado tenha uma restrição dos movimentos. Este tipo de cirurgia é realizado nos pacientes em que a dor está relacionada a um discreto aumento da movimentação daquele segmento da coluna.

Open chat
Powered by